Promovido pelo Instituto Trata Brasil, em parceria com o Ministério Público de Rondônia, Fiocruz Rondônia e Abrampa (Associação dos Membros do Ministério Público do Meio Ambiente), o evento que discutiu saneamento e saúde em Rondônia e nas suas 15 maiores cidades, aconteceu no auditório do Ministério Público, em Porto Velho, na manhã do dia 10 de agosto. Com um público bastante misto, entre universitários, profissionais da área da saúde e do saneamento, o Instituto Trata Brasil apresentou os resultados do estudo que comprova a correlação da diarreia, dengue e leptospirose com a falta de saneamento básico nos 15 maiores municípios rondonienses.

Édison Carlos, presidente-executivo do Trata Brasil, abriu os trabalhos com um vídeo retirado do Documentário com os Embaixadores do Instituto Trata Brasil, sobre saúde, e logo após apresentou os dados nacionais, regionais e de Rondônia de água e esgotamento sanitário. Chamando a atenção para os números baixíssimos, principalmente em atendimento ao esgoto, cujo menos de 3% da população do estado de Rondônia têm acesso, o presidente-executivo do Instituto Trata Brasil convidou a todos os presentes para um pacto em prol do saneamento, envolvendo principalmente as entidades presentes. Entre os convidados, subiram à mesa de autoridade a presidente da Companhia Estadual de Água e Esgoto de Rondônia (CAERD), Iacira Azamor; o diretor da Fiocruz de Rondônia, Dr. Ricardo Godói; a substituta eventual da Superintendência Estadual da Funasa no Estado de Rondônia, Jorilda Monteiro; o assessor especial da Secretaria Estadual de Saúde (SESAU), Gleense Cartonilho; a promotora pública de Meio Ambiente, Aidee Maria M. Torquato Luiz; a promotora pública de Urbanismo, Dra. Flávia Barbosa Shimizu; e o presidente da Abrampa, Dr. Fernando Barreto.

Após os pronunciamentos das autoridades presentes, o estudo do Instituto Trata Brasil foi apresentado pela pesquisadora Aline Baldez, que ressaltou os indicadores mínimos de saneamento em quase todos os municípios apurados e a forte relação com os casos de internações e notificações de diarreia, dengue e leptospirose. Dentre os dados apresentados, a pesquisadora chamou atenção pelas 11 mil piscinas olímpicas de esgotos despejadas anualmente nos 15 maiores municípios sem nenhum tratamento.

Em seguida, a Dra. Flávia Serrano, do CEPEM (Centro de Pesquisa em Medicina Tropical) e Fiocruz, apresentou dados sobre casos de diarreia em Porto Velho, especialmente, e chamou atenção pelas condições precárias, principalmente na qualidade da água na capital rondoniense.

Por fim, a Coordenadora da Pastoral da Criança de Rondônia, Maria Goretti Krieger, explanou sobre os casos de diarreia acompanhados pela Pastoral da Criança, muitos deles ligados à precariedade dos serviços públicos e a inexistência do saneamento básico.

Nas conclusões do evento, todos os envolvidos responderam perguntas do público em relação ao saneamento básico no estado de Rondônia, que há décadas apresenta índices baixíssimos. Ao encerrar o evento, a Coordenadora do Laboratório de Microbologia da Fiocruz de Rondônia, Dra. Najla Benevides Matos, pediu mais comprometimento dos gestores públicos, chamando atenção pelas pesquisas já feitas pela Fiocruz durante os anos, principalmente em Porto Velho, em relação às doenças provocadas pela falta de saneamento básico.

  

Veja Também

APRESENTAÇÃO DA ALINE BALDEZ (PESQUISADORA DO INSTITUTO TRATA BRASIL/REINFRA)

O ESTUDO NA ÍNTEGRA PODE SER VISTO AQUI:
http://www.tratabrasil.org.br/saneamento-e-saude-nas-15-maiores-cidades-de-rondonia

Promovido pelo Instituto Trata Brasil, em parceria com a Itron, a Subcomissão Permanente de Saneamento Ambiental da Câmara dos Deputados (SANEAR), o Grupo de Economia da Infraestrutura & Soluções Ambientais da FGV, e o apoio da Sabesp, o evento “Casos de Sucesso em Saneamento Básico + Perdas de Água 2016”, que aconteceu dia 22 de setembro, no auditório da FGV-Itaú, em São Paulo, discutiu sobre os principais casos de sucesso em saneamento básico de algumas cidades brasileiras como também o panorama sobre perdas de água e suas consequências.

Édison Carlos, presidente do Trata Brasil realizou a abertura do evento e deu início ao primeiro painel, das autoridades do setor de saneamento, como a presença do Secretário Nacional de Saneamento Ambiental, Alceu Segamarchi Jr; Deputado João Paulo Papa (Subcomissão permanente de saneamento ambiental - SANEAR); a secretária adjunta Secretaria Saneamento e Recursos Hídricos do Estado de São Paulo, Mônica Porto; Dr. Gesner Oliveira, do Grupo de Economia da Infraestrutura e Soluções Ambientais da FGV; e Jerson Kelman, Presidente da SABESP.

O segundo painel focou no avanço conjunto via consórcios intermunicipais/comitê de bacia, com a presença da Agência das Bacias PCJ, representada pelo diretor presidente, Sérgio Razzera, e os representantes da ARIS (Agência Reguladora Intermunicipal de Saneamento), de Santa Catarina, João Girardi (presidente e prefeito de Concórdia/SC) e Adir Faccio (diretor geral), com mediação do especialista em saneamento básico, Alceu Galvão, que questionou como as duas entidades conseguem engajar os diversos prefeitos nas discussões de regulação e tarifa, principalmente.

Logo em seguida foi a vez do Deputado João Paulo Papa mediar o painel  “Destaque em Indicadores de Saneamento” que enalteceu as cidades com os melhores números em água e esgotos, com a presença do prefeito Carlos José de Almeida, de São José dos Campos; Guilherme Menezes, de Vitória da Conquista; e Antônio Carlos Xavier, secretário municipal de Meio Ambiente de Contagem/MG. Durante a conversa, os gestores públicos foram interpelados sobre a conduta das políticas de saneamento em seus municípios e como fazer para que a população saiba reconhecer os esforços das prefeituras quando o saneamento básico é uma das prioridades de governo.

Encerrando os debates pela manhã, com a mediação do presidente-executivo do Trata Brasil, Édison Carlos, o quarto painel ressaltou as parcerias entre empresas públicas e privadas, e contou com a participação de Paula Medina, representando a AEGEA; Ricado Barreto da Compesa (Companhia Pernambucana de Saneamento); e Luiz Pannuti, diretor da Companhia de Saneamento de Jundiaí (CSJ). O debate rendeu boas respostas dos convidados, justamente num período em que se discute à nível federal a participação da iniciativa privada no setor de saneamento básico. Além disso, houve uma maior interação do público e dos internautas em procurar entender porque o setor privado, até mesmo no saneamento, sofre resistência dos políticos e de uma boa parte da população.

No período da tarde, ao iniciar os trabalhos, o vice-presidente de vendas da Itron, Samuel Lee, congratulou as mais de 150 pessoas presentes no auditório, e introduziu o painel seguinte, da Rede Brasileira do Pacto Global, que promoveu o lançamento da cartilha aos prefeitos do Movimento pela Redução das Perdas de Água. Minutos depois, o palestrante Kenneth A. Thompson, americano de Denver, representando a empresa CH2 M Hill, falou por uma hora com o público sobre os desafios da redução de perdas de água no mundo, mostrando casos reais de sucessos em que ele e sua equipe trabalharam, tanto na Austrália, como em Porto Rico e Ilhas Marianas. Por fim, sob a mediação novamente de Alceu Galvão, os cases de sucessos de agências e municípios foram discutidos, desta vez com a presença de Adriano Costa, presidente do Conselho Diretor da Agência Reguladora de Serviços Públicos do Ceará (ARCE); Antônio Elisandro do DMAE de Porto Alegre; e Dalto Favero Brocchi da Ares-PCJ, que discorreram sobre os desafios e sucessos que suas entidades tiveram para estabelecer um trabalho no controle das perdas de água, envolvendo a população e o poder público diretamente.

Ao encerrar o evento, Édison Carlos e o Deputado João Paulo Papa reafirmaram o compromisso da entidade e do Congresso, especialmente por meio da SANEAR, em continuar dando mais visibilidade para os bons casos de saneamento básico e perdas de água, assim como buscando incentivar os municípios que ainda têm o que fazer.

       

No Dia Mundial da Água, o Instituto Trata Brasil, em parceria com a Maurício de Sousa Produções, lançou a revista oficial 'Uso Racional da Água e Saneamento Básico', com o apoio da Sabesp, CNBB (Confederação Nacional dos Bispos do Brasil) e a Secretaria Estadual de Saneamento e Recursos Hídricos.

A cartilha oficial visa promover a conscientização sobre a importância de preservar o meio ambiente, tratamento de água e esgoto. Além disso, está ligado diretamente a Campanha da Fraternidade Ecumênica de 2016, cujo tema principal é 'Casa comum, nossa responsabilidade', voltado ao saneamento básico.

O encontro contou também com a presença de pessoas importantes para o setor, como: Jerson Kelman – presidente da Sabesp, Benedito Braga - secretário de saneamento e recursos hídricos de São Paulo, Édison Carlos – presidente executivo do Instituto Trata Brasil, Lu Alckim – primeira dama e Vanda Signorelli e Sousa, filha do cartunista Maurício de Souza.

O evento aconteceu no Parque da Sabesp na Mooca, com um dia cheio de atividades lúdicas e oficinas educativas com alguns alunos da rede estadual de ensino, coral e a Fanfarra Dom Bosco.

Veja as fotos

O Instituto Trata Brasil, em parceria com a Subcomissão Permanente de Saneamento Ambiental (SANEAR) e Grupo de Economia e Infraestrutura e Soluções Ambientais - FGV realizou o seminário 'Exemplos em Saneamento Básico: Municípios provam ser possível universalizar e reduzir as perdas de água', na terça-feira (17 de outubro),  que aconteceu no auditório da FGV do Berrini, em São Paulo. É a terceira edição do evento, que teve início em 2015, e o objetivo é dar visibilidade a casos exitosos em abastecimento de água, coleta e tratamento dos esgotos, além de sucesso na redução das perdas de água no sistema de distribuição.

A mesa de abertura foi composta por autoridades do setor, como Jerson Kelman - Presidente da Sabesp, Dra. Mônica Porto - Secretária adjunta de Saneamento e recursos hídricos, Gesner Oliveira do Grupo de Economia da Infraestrutura e Soluções Ambientais - FGV e o Deputado João Paulo Papa, representante da Subcomissão Permanente de Saneamento Ambiental -  SANEAR.

O primeiro painel, mediado pelo Deputado João Paulo Papa e Igor Freitas da empresa Bauminas, discutiu a universalização do saneamento na prática e contou com prefeitos de cidades consideradas casos de sucesso em saneamento básico, entre eles estavam prefeito Marcelo Rangel de Ponta Grossa (PR); Secretário do Meio Ambiente, Wilson Portela de Presidente Prudente (SP); prefeito Barjas Negri de Piracicaba (SP); e o vice-prefeito, Ismar Roberto de Araújo, de Lagoa da Prata(MG).

Para falar sobre Redução de Perdas de Água, no painel 2, a mesa foi mediada por Mariano Bergman da empresa Itron e contou com as presenças do prefeito Edgar de Souza de Lins (SP); prefeito Victor Coelho de Cachoeiro do Itapemirim (ES); Paulo Alberto Dedavid da Sanepar representando Umuarama (PR); e o prefeito José Auricchio Júnior de São Caetano do Sul (SP).

Após os painéis, Édison Carlos, presidente-executivo do Instituto Trata Brasil parabenizou as iniciativas dos prefeitos das cidades premiadas, e ressaltou a importância do papel do prefeito e dos demais cidadãos. “O prefeito precisa enfrentar esse desafio de falar para o cidadão o benefício que ele vai receber ao fazer o investir saneamento. Com exemplos assim que conseguiremos chegar à universalização, prefeitos falando para outros prefeitos que é possível resolver esses problemas”.

Ao encerrar o evento, Édison Carlos e o Deputado João Paulo Papa reafirmaram o compromisso das entidades, em continuar dando mais visibilidade para os bons casos de saneamento básico e perdas de água, assim como buscando incentivar os municípios que ainda têm o que fazer.

Confira mais fotos:

https://www.flickr.com/photos/152420322@N06/sets/72157688075130134

(11) 3021-3143
tratabrasil@tratabrasil.org.br
Desenvolvido por DMSNet